quarta-feira, 29 de outubro de 2014

José Maria de Almeida



Na seleção dos capitães do progresso curitibanense, tivemos o cuidado de escolher homens que não apenas contribuíram com sua luta e esforço para o desenvolvimento de Curitibanos. Nossa atenção também esteve voltada para aqueles cujos ancestrais foram fundadores reais de uma casta que implantou as bases destas plagas que, por força da história, houveram por bem chamar de Curitibanos.
Assim é com o passado brilhante do senhor José Maria de Almeida, seus pais Petronilho Ferreira de Almeida e Francelina de Almeida fizeram e constarão para todo o sempre, das páginas históricas de Curitibanos. Foram eles que, aqui chegando, plantaram as primeiras sementes do progresso. Entre seus filhos, o nome de José Maria de Almeida salientou-se, caráter nobre, como um dos principais homens que motivou o crescimento de Curitibanos. Homem comunitário, jamais pensou somente em si.
Dedicando-se desde cedo, ao trabalho, fez com que seu esforço marcasse sua presença no município. O início da história de Curitibanos lembra as passagens dos primeiros tropeiros que, vindos de Curitiba aqui faziam seu pouso. As terras da região apresentavam excelentes condições par a lavoura. Com vontade indômita, dedicaram-se à agricultura.
Assim, o senhor José Maria de Almeida teve sua vida dedicada à lavoura, nos campos da promissão. Seus filhos, Romildo Assis de Almeida e Rivaldo de Almeida, palmilhavam lado a lado sua vida diuturna.
Estava assim em formação, um verdadeiro patrimônio, que no futuro chamar-se-ia J. Almeida e Filhos Ltda., uma importante empresa curitibanense.


Na continuidade e conjugação dos esforços, pai e filhos venderam suas propriedades no campo e passaram a dedicar-se à indústria extrativa do pinho (araucária) por muitos anos. Curitibanos conserva em sua história o codinome de “Capital do Pinho”. As reservas existentes na região atraíram investidores e exploradores das mais longínquas paragens. José Maria de Almeida, filho da terra, sabia e sentia, mais que muitos, que o futuro apresentava-se na riqueza apresentada pelo pinho. As primeiras serrarias nasciam então. As serrarias de José Maria de Almeida mantinham constante produção, e o homem, larga visão, sentiu a necessidade de uma empresa de transportes própria, com total condições para o escoamento de sua produção, além da prestação de serviços a terceiros. Contando com os dois braços fortes, Romildo e Rivaldo, a transportadora do Senhor José cresceu, graças ao bom desempenho e esforços.
Tomando como exemplo a vida do pai, seus filhos sabiam que o sucesso não vem à toa e que o sabor da vitória exige sacrifícios. Assim nasceu a TRANSALMEIDA LTDA., dos quais já faziam parte como associados iguais os filhos de José. A soma desse trabalho comum viria a ultrapassar a participação de seu progenitor. Os filhos, recebendo maior confiança do Senhor José marchavam, seguros e uníssonos, comandando a empresa.
Possuíam nas décadas de 1970 e 1980 duas serrarias, com produção mensal de 3.500 dúzias de madeira serrada de pinho (araucária), quatro carretas da marca Scania Vabis com capacidade de transporte de 100 dúzias cada uma, ainda possuíam o mais completo posto de abastecimento e lubrificação do município.
Assim, alimentando a sagrada chama que alimentou seus ancestrais, na colonização do município, José Maria de Almeida, homem de Curitibanos, que venceu por acreditar em sua gente e em sua terra viu com galhardia a justificativa do título, de um dos capitães do progresso curitibanense. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário