sexta-feira, 24 de maio de 2013

Maria Batista Nercoline



Maria nasceu em 27 de março de 1920, em São Joaquim (SC). Filha de tradicionais famílias joaquinenses, seu pai Sebastião Batista Ribeiro, sua mãe Olga Martins Cassão Ribeiro. Foi professora primária tendo iniciado sua carreira como professora na escola Mista de Pericó. Passou a ser bancária, trabalhando no banco INCO em São Joaquim e Lages.
Fixou residência em Curitibanos em 1950, quando transferida do Banco INCO de Lages. Casou-se com Adolfo Nercolini, nascendo deste casamento seis filhas.
Em Curitibanos teve atuação destacada na assistência ao menor abandonado. Foi Coordenadora do MOBRAL e FUCABEM.
Pesquisadora, ainda que metódica, dada ao gosto pela história, e sócia efetiva do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina.
Fundadora do Museu Histórico “Antonio Granemann de Souza”, desde a formação da Comissão Provisória para sua criação, sendo inclusive, sua primeira diretora, quando de sua inauguração em 07 de maio de 1973 até 27 de maio de 1989, quando passou a residir em Florianópolis, contudo, permaneceu como sua supervisora até junho de 1993, conforme atos dos sucessivos Prefeitos a quem serviu.
Além da criação do Museu participou da criação da Casa do Menor, Associação Beneficente “Damas de Caridade”, fundação da Beneficência Espírita A Casa dos Humildes, sendo presidente por diversas gestões.
Nunca gostou de bajulações, exemplo disso, quando agraciada com o título de “Cidadã Curitibanense”, conferido pela Câmara de Vereadores, sequer foi recebê-lo. Sempre dizia que não fazia caridade para receber títulos ou elogios. Para favorecer os pobres não hesitava em movimentar autoridades e políticos. Faleceu em 29 de junho de 1993, na cidade de Florianópolis.
Colaboração de Sebastião Luiz Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário